História

A Associação Cultural Maré de Agosto constituiu-se formalmente a 16 de outubro de 1987, em Vila do Porto, após dois anos de atividade tendo como principal objetivo promover e apoiar a ação cultural na ilha de Santa Maria, especialmente com a organização do Festival Maré de Agosto.

A Associação resultou efetivamente de uma “noite mágica” em 1984 que sem saberem seria a primeira de muitas Marés. A origem do Festival Maré de Agosto foi no fundo a origem da Associação, quando nessa noite um grupo de artistas Açorianos resolveu promover um encontro de músicos na ilha.

A iniciativa agradou de tal forma a todos, que a decisão de continuar com o evento foi natural merecendo desde logo o consenso de todos os intervenientes, sendo hoje em dia a principal atividade da Associação. No entanto, além da realização anual do Festival, a Associação promove vários eventos em quase todas as áreas das Artes (workshops, teatro, artes plásticas, fotografia, etc.), e mantém em funcionamento durante todo o ano letivo, a Escolinha da Maré, uma escola de música na qual é disponibilizada formação musical a todos os quantos queiram desenvolver as suas aptidões musicais.
Em 2002 a Associação viu oficialmente reconhecido o seu Estatuto de Entidade de Utilidade Pública, tendo igualmente recebido em 2015 no âmbito das comemorações do dia dos Açores, em organização conjunta da Assembleia Legislativa e do Governo dos Açores, a Insígnia Autonómica de Mérito Cívico, "pelo resultado de uma compreensão nítida dos deveres cívicos, e da contribuição, de modo relevante, para os serviços à comunidade, nomeadamente nas áreas de ação social e cultural".

Além da própria atividade associativa, a Associação integra como membro associado outras entidades com diversos âmbitos associativos, dos quais se destacam a Plataforma Europeia EFFE – Europe for Festivals, Festivals for Europe, da responsabilidade da European Festivals Association, a APORFEST – Associação Portuguesa de Festivais de Música, a ARDE – Associação Regional para o Desenvolvimento e Fundação INATEL.

A Associação assume-se como um dos mais importantes polos dinamizadores da ação cultural e lúdica, numa pequena ilha de menos de 6000 habitantes, e como uma referência indesmentível no panorama cultural açoriano. Do mesmo modo, essa atividade tem constituído um enorme contributo para a dinamização económica da ilha de Santa Maria, nomeadamente no sector turístico.